Wednesday, January 17, 2007

SOS MOCHA OU “SONHOS NÃO ENVELHECEM...”

O meu sonhar Bárbara,
nasceu banhado na porca vergonha do Mocha,
misturou-me o sangue à poeira do Canela e Oiteiro,
dançando uma bandoleira valsa possidônica.

O meu sonhar Bárbara,
resiste ao tempo:
paralelepípedos
de ruelas estreitas de meus antepassados em Oeiras.

O meu sonhar Bárbara,
quase explode na Casa da Pólvora,
no Fogaréu de nossas vidas.

O meu sonhar Bárbara,
são muitos sonhos
- ultrapassa o Gaturiano, ganha o mundo -
e alinham-se aos que crêem
e acreditam na Nossa (Senhora da) Vitória!

Marcos Freitas.

1 comment:

Bárbara said...

O meu sonhar, Marcos, agora alça vôos maiores por encontrar conterrâneos como você, gente como você, sonhadores como voCê!


Beijo Grande!