Wednesday, April 26, 2017

Raul de Taunay convida para o lançamento de Poemas ao Desabrigo




Poeta de uma singularidade lírica exclusiva, personagem forte e marcante, o embaixador Raul de Taunay, com uma imensa sensibilidade, emerge definitivamente na obra ‘Poemas ao Desabrigo’.
Considerado uma das grandes revelações da poesia brasileira contemporânea, Raul de Taunay, atualmente, escreve romances, livros de poesias, ensaios, artigos e análises do cenário internacional. Em 2005, por unanimidade, foi-lhe outorgada a Medalha João Ribeiro, pela Academia Brasileira de Letras.

Seguindo o caminho das margens que percorreu pelo mundo inteiro à procura de uma fonte para as suas palavras, este poeta intenso faz da poesia um deleitoso momento de prazer. Raul de Taunay revela, nestes ‘Poemas ao Desabrigo’, a harmonia fugaz entre forma, beleza, crueza e liberdade, numa sequência de odes, elegias, trovas, baladas e sonetos marcantes e inesquecíveis. 

Lançamento - Poemas ao Desabrigo
Data: 27 de abril (quinta)
Horário: 19h30

Local: Embaixada da Índia

Endereço: St. de Embaixadas Sul, 805 - Brasília
 



Sobre o autor:
O poeta e diplomata Raul de Taunay, nasceu em Paris, França, em 23 de março de 1949 – brasileiro nato, de acordo com o artigo 129, inciso 1o, da Constituição Federal de 1946. Por ser o segundo de sete filhos do diplomata de carreira brasileiro, e professor, Jorge d’Escragnolle Taunay, casado com Mary Elizabeth Penna e Costa d’Escragnolle Taunay, igualmente professora universitária, recebeu na infância uma educação qualificada e abrangente, aprofundada pela vida cosmopolita que os pais levavam por intermédio de países europeus e americanos. Passou os primeiros anos de vida na França e na Dinamarca, iniciando depois estudos primários nos Estados Unidos, México, Perú, Argentina e Brasil. Cursou Direito na Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro, e durante este tempo de faculdade escreveu um caderno de versos denominado ‘Visuais de Aquário’, que mais tarde integraria, junto a outros versos, o seu primeiro livro: ‘Poética do Novo Bardo’. No ano em que se formou, em 1972, passou no concurso do Instituto Rio Branco (IRBr) para diplomatas, e, posteriormente, viu-se aprovado em todos os exames do Curso de Preparação à Carreira de Diplomata, ingressando em 1974, como terceiro-secretário e, a partir disto, obteve uma carreira em que ocupou cargos em embaixadas e consulados. Como escritor e intelectual é autor de romances, livros de poesia, ensaios, artigos e análises do cenário internacional, vistos do ângulo das possibilidades e dos interesses brasileiros.

Endossos
Sobre sua obra, o poeta Carlos Nejar, romancista e crítico literário, membro da Academia Brasileira de Letras, comparou-o com Arthur Rimbaud, no Barco Ébrio, por recobrar nas palavras todas as confluências de sua poesia errante, de país em país, “carregando o eito de si mesmo, procurando alguma constelação perdida”.
Recentemente, o editor e escritor Jorge Viveiros de Castro, ao apresentar os livros gêmeos, em verso e prosa, o Andarilho de Malabo, editado recentemente pelo autor, considerou Raul de Taunay um dos escritores mais interessantes de sua geração.
O poeta Nicolas Behr no fim de um comentário crítico sobre o autor, publicado na contracapa do seu novo livro, revela: “em Raul de Taunay a criação brota, jorra natural, aos borbotões. Andarilho do mundo, poeta do mundo”. O plenário da Academia Brasileira de Letras outorgou-lhe em dezembro de 2005, por unanimidade, a Medalha João Ribeiro.

Ficha Técnica:  Poemas ao Desabrigo
Categoria: Poesia brasileira
Formato: 16x23cm
Páginas: 223
Edição: 1o
ISBN: 978-85-421-0522-3
 http://woomagazine.com.br/raul-de-taunay-autor-premiado-pela-academia-brasileira-de-letras-lanca-livro/
  

Tuesday, April 25, 2017

25 Abril - Tanto Mar - Versão Original

Demarcação Já!

Réquiem - Poema de H. Dobal

Réquiem

Nestes verões jaz o homem
sobre a terra. E a dura terra
sob os pés lhe pesa. E na pele
curtida in vivo arde-lhe o sol
destes outubros. Arde o ar
deste campo maior desta lonjura
onde entanguidos bois pastam a poeira.
E se tem alma não lhe arde o desespero
de ser dono de nada. Tão seco é o homem
nestes verões. E tão curtida é a vida,
tão revertida ao pó nesta paisagem
neste campo de cinza onde se plantam
em meio às obras-de-arte do DNOCS
o homem e os outros bichos esquecidos

H. Dobal.

Wednesday, March 22, 2017

Dica de Leitura: Dia Mundial das Águas - 22 de março


Que Venha a Seca, de Marcos Freitas


Autor: Marcos Airton de Sousa Freitas
ISBN: 8578106601 ISBN-13: 9788578106607
Brochura, 1ª Edição – 2010, 413 pág. Preço médio R$ 80,00

O autor não se propõe a lutar quixotescamente contra a seca e derrotá-la, mas sim compreender os fenômenos envolvidos nos diversos tipos de seca, conjeturar sua ocorrência, sua duração e sua intensidade, e estabelecer critérios para que sejam tomadas decisões realistas. Trata-se de um livro complementar à cadeira de Hidrologia, para ser utilizado principalmente pelos cursos que têm em vista a formação de hidrólogos que vivem e trabalham nas regiões assoladas pelas secas, constituindo-se em uma fonte segura de pesquisa sobre o tema. Embora haja interdependência entre os capítulos, eles podem, até certo ponto, ser lidos independentemente uns dos outros, fazendo com que o livro possa ser também usado como manual de procedimentos por gestores, administradores públicos e demais tomadores de decisão, uma vez que cada capítulo possui sua própria lista bibliográfica.


QUE VENHA A SECA
Sumário
AGRADECIMENTOS
APRESENTAÇÃO
PREFÁCIO
CAPÍTULO 1 MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SECAS
CAPÍTULO 2 O FENÔMENO DAS SECAS, A GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS E O NORDESTE DO BRASIL
CAPÍTULO 3 ANÁLISE INTEGRADA DO FENÔMENO DAS SECAS (SIGES)
CAPÍTULO 4 MODELAGEM CHUVA-VAZÃO EM RIOS DO SEMIÁRIDO
CAPÍTULO 5 GERAÇÃO SINTÉTICA DE VAZÃO EM RIOS DE REGIÕES SEMIÁRIDAS
CAPÍTULO 6 MODELOS DE ESTIMATIVA DE DEMANDA
CAPÍTULO 7 MECANISMOS DE ALOCAÇÃO E NEGOCIAÇÃO DE RECURSOS HÍDRICOS
CAPÍTULO 8 APLICAÇÕES DO SIGES AO SEMIÁRIDO BRASILEIRO
CAPÍTULO 9 ANÁLISE MULTICRITÉRIO E TOMADA DE DECISÃO EM REGIÕES SEMIÁRIDAS
CAPÍTULO 10 ANÁLISE DE RISCO NA GESTÃO HIDROAMBIENTAL
CAPÍTULO 11 OPERAÇÃO DE RESERVATÓRIOS EM SITUAÇÕES DE ESCASSEZ
CAPÍTULO 12 INTEGRAÇÃO SETORIALNA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS
CAPÍTULO 13 PLANOS DE CONVIVÊNCIA COM AS SECAS E MITIGAÇÃO DOS IMPACTOS
CAPÍTULO 14 CONSIDERAÇÕES FINAIS



A Regulação dos Recursos Hídricos


REGULAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS, A
Formato: Livro
Autor: FREITAS, MARCOS AIRTON DE SOUSA
Assunto: DIREITO AMBIENTAL

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
ISBN: 8578105206
ISBN-13: 9788578105204
Idioma: Livro em português
Encadernação: Brochura
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2009
Número de páginas: 174

SINOPSE
Este livro trata da análise do modelo vigente de gestão de recursos hídricos, com seus avanços e problemas de implementação, visando apresentar proposições ao seu aprimoramento. Tem como objetivo discutir o modelo de gestão da água com ênfase nos aspectos de regulação e de controle social. Para a consecução dos objetivos expostos, procurou-se analisar a temática a partir de uma abordagem teórico-histórica da regulação e da gestão participativa dos recursos hídricos, envolvendo a relação do Estado e da esfera pública, em especial, no âmbito dos comitês de bacias hidrográficas e agências de água. Conclui-se, destarte, que a participação efetiva e qualificada da sociedade civil nos conselhos e nos comitês de bacias necessita ser aprimorada, sendo de suma importância para o aperfeiçoamento da gestão integrada de recursos hídricos e da democracia deliberativa brasileira.


TRIBUTO AO POETA JAMESSON BUARQUE




TRIBUTO AO POETA
JAMESSON BUARQUE

no auditório da
BIBLIOTECA NACIONAL DE BRASÍLIA
Esplanada dos Ministérios, com acesso livre ao estacionamento
dia 30 de março de 2017, às 18 horas

palestra de
SALOMÃO SOUSA

e participação de 
ANDERSON BRAGA HORTA e MARGARIDA PATRIOTA.

Leitura de poemas e lançamento do livro Meditações*, de
Jamesson Buarque • poeta, professor, e promotor cultural, nasceu em Recife e radicou-se em Goiás. É docente-pesquisador da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás, da área de Teoria da Literatura, Teoria do Poema e Ensino de Literatura. É autor dos livros Novíssimo testamento (CEGRAF/UFG, 2004), de outra troia (artepaubrasil, 2010) e Pluviário perpétuo (PUC/GO, 2011) e Meditações (Editora Martelo), todos de poesia. Investiga contingências, procedimentos e condições de produção da criação de poesia, sobretudo a respeito do ensino de leitura e escrita de poemas em ambientes educacionais. Também pesquisa genologia poética, quanto à relação entre gênero épico e lírico, bem como entre epopeia, romance, narrativa de ficção e o poema longo ou poema-livro. Ver página e poesia em http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/goias/jamesson_buarque.html

*Participação da editora Martelo, com venda de livros de seu catálogo.

Thursday, March 09, 2017

Carlos Pinto - Todo Dia É Dia D (1974)

 

Todo dia é dia D

Desde que saí de casa
trouxe a viagem da volta
gravada na minha mão
e enterrada no umbigo
dentro e fora assim comigo
minha própria condução

Todo dia é o dia dela
pode não ser pode ser
abro a porta e a janela
 todo dia é dia D

Há urubus no telhado
 e a carne seca é servida
um escorpião encravado
na sua própria ferida
não escapa só escapo
pela porta da saída

 Todo dia é mesmo dia
de amar-te e a morte morrer;
todo dia é mais dia, menos dia
é dia D.

Torquato Neto.

Friday, February 10, 2017

13th edition of Chá com Letras



Evento 'Chá com letras' reúne amantes de poesia

O evento é realizado mensalmente pela embaixada da Índia e é aberto ao público




postado em 09/02/2017 19:41 / atualizado em 09/02/2017 19:41
Evento 'Chá com letras' reúne autores e leitores interessados por poesia todo mês 
A embaixada da Índia em Brasília vai realizar a 13ª edição do evento Chá com letras nesta sexta (10/2), reunindo autores e espectadores interessados em poesia. 
A experiência baseia-se em literatura e degustação de chás e pratos da culinária indiana. Entre os 42 poetas que já marcaram presença, estão Antônio Miranda, Kori Bolívia, Anderson Braga Horta, Ary Quintella, Nicolas Behr, Makarand R. Paranjape, Edmilson Caminha, João Almino, Francisco Alvim, Farhad Sasani.
O evento será na Embaixada da Índia (805 Sul, lote 24) e foram convidados os poetas José Carlos Vieira, Luciana Barreto, Fernando Dusi Rocha, Maxçuny Alves, Janara Soares e Roberto Medina para compartilharem textos e poesia com a platéia. O evento é gratuito e aberto ao público.