Tuesday, June 05, 2018

LinguaGens (poesia) reúne 56 poetas. Edição bilíngue português/espanhol, tradução de Carlos Saiz.




LinguaGens (poesia) reúne 56 poetas. Edição bilíngue português/espanhol, tradução de Carlos Saiz.

O Coletivo de Poetas lança dia 12 de junho o seu livro novo, LinguaGens (Tagore Editor), edição bilíngue português/ espanhol, tradução de Carlos Saiz.
O livro custa R$ 30 (trinta reais). O lançamento será na 34ª Feira do Livro de Brasília, que começa dia 8 e termina dia 17, no Pátio Brasil.

Das 18h às 19h o Coletivo de Poetas fará um recital de poesia no palco principal, onde também os autores iniciam a sessão de autógrafos e das 19h às 20h concluirão no stand do Sindicato dos Escritores, ao lado do palco.
HOMENAGEM PÓSTUMA
Quatro dos 56 poetas que têm poemas na coletânea LinguaGens fizeram a travessia nesse meio tempo: Anabe Lopes, Samuel Barros Magalhães (Sam), Paco Cac e Ariosto Teixeira.
A homenagem póstuma será feita pelo Coletivo de Poetas, com rodas de leituras de poesia.

POETAS
Estão no LinguaGens os poetas Ádyla Maciel, Almira Rodrigues, Alceu Brito Corrêa, Aloisio Brandão, Antonio Miranda, Basilina Divina Pereira, Carla Andrade, Chico Pôrto, Carlos Araújo, Cristina Bastos, Carlos Augusto Cacá, Chico Castro, Dina Brandão, Donne Pitalurgh, Ézio Pires, Edmilson Figueiredo, Flora Benitez, Fabrízio Morelo, Geraldo José de Oliveira, Giovani Iemini, Hilan Bensusan, Isolda Marinho, Ivan Braga, Jorge Antunes, José Edson dos Santos, Jorge Amâncio, Jarbas Júnior, José Roberto da Silva, Maria Coeli, Maria Maia, Marcos Freitas, Maria de Lourdes Teodoro, Márcio Catunda, Marta Bonimond, Menezes y Morais, Nicolas Behr, Nonato Veras, Nando Potyguara, Nonato Freitas, Reginaldo Gontijo, Rêgo Junior, Salomão Sousa, Siddha Abraxas (Maria Aparecida de Oliveira), Sids Oliveira, Solymar Lacerda Cunha, Varadero (Paulo Roberto Miranda), Wélcio de Toledo, Yonaré Flávio.
---

*Dia 12, com recital das 128h às 19 no Palco Principal e sessão de autógrafos das 19h às 20h no stand do Sindicato dos Escritores.
*34ª Feira do Livro de Brasília, de 8 a 17 de junho, no Pátio Brasil.


Friday, May 04, 2018

Na Curva de um Rio, Mungubas, de Marcos Freitas (edição digital)



Na Curva de um Rio, Mungubas - apresenta um virtuoso experimento literário de um autor que faz do mundo e cidades uma geografia em prosa - quase memória – capaz de revela-lo, nas suas andanças e latitudes, sem que o leitor precise lançar mão de oráculos, mapas astrológicos ou cartografias.(...) Na Curva de um Rio, Mungubas, deixamos para trás a identidade perdida ou não definida e nos reinventamos personagens aos trancos de narrativa – à deriva – sob o signo da poesia. Seguimos de improviso por rotas imprevistas e paragens iniciáticas, só com o troco da passagem, conjugados na primeira pessoa do plural: autor e leitor. Fred Maia, Brasília-DF, 30 de julho de 2006 (Prefácio à 1ª edição em papel).

Para adquirir:

Wednesday, April 25, 2018

Poeta Marcos Freitas lança livro 'de arrodeios' nesta quarta (25/4)



Poeta Marcos Freitas lança livro 'de arrodeios' nesta quarta (25/4)

A obra será lançada no Beirute (109 Sul) com sessão de autógrafos

postado em 24/04/2018 18:15 / atualizado em 24/04/2018 18:19

Poeta e ativista em Brasília, Marcos Freitas está lançando seu 13º livro (foto: Marcos Freitas/Divulgação)

Nesta quarta (25/4), haverá o lançamento do livro de poemas de arrodeios, de Marcos Freitas, no Beirute (CLS 109 Bl. A lj 2 a 4), às 19h. Este é o 13º livro lançado pelo autor, que além de poeta, é organizador de encontros de poesia no DF, músico e engenheiro. O lançamento do livro é parte da programação do Beira Cultural.

"Escrevo desde os 10 anos. Principalmente poesia, mas tenho alguns contos publicados", conta o escritor. Ele comenta que chegou em Brasília no ano de 2001, para trabalhar. "Virei brasiliense", brinca, sem deixar de lado as raízes do Piauí. "O termo 'de arrodeios' é bem piauiense, significa 'se desviar', 'não encarar de frente'", explica.

A capa do livro é uma foto tirada pelo próprio escritor e mostra um portão colocado em um lugar sem cerca. "É uma metáfora que eu fiz com o título e a capa. O portão está ali no meio, é necessário desviar dele", explica, aos risos. 

O motivo da vinda de Marcos Freitas de Teresina para Brasília foi o cargo que assumiu na Agência Nacional de Águas (ANA). Pela engenharia, ele morou em Fortaleza, onde lecionou e estudou, e na Alemanha. O poeta também tem quatro livros publicados sobre temas como recursos hídricos, sua área de estudos. 

No lançamento do livro, com sessão de autógrafos e "possíveis declamações", Marcos Freitas lança um livro definido por Marcos Fabrício (poeta brasiliense e autor do prefácio de de arrodeios) como "pássaro que, ao pousar no galho, balança a árvore".  

Serviço

Lançamento do livro de poesia de arrodeios, de Marcos Freitas.
Beirute (CLS 109, Bl. A lj 2 a 4).
Nesta quarta (25/4), às 19h. 
Entrada franca.
Classificação indicativa livre.

Fonte: